Real Quimera


Nunca estive numa plantação de girassóis.
Ouvi falar de uma delas.
Sonhei que estava lá.
Ah! Quisera estar entre eles...
Minha alma fascinada e exultante!
Talvez meu desejo se cumpra,
Ou não.
Um dia.
Numa manhã.
Num dia de sol escaldante.
Ou num gélido entardecer.
Cânticos de gratidão.
Meu coração cantaria...
Expressando a alegria do amarelo
Não olvidarei deste campo.
Perto ou longe.
Na cidade da música, nos meus sonhos,
ou no plano de fundo de uma tela.
Azul de tanta luz.
Beleza nobre e genuína.
Desculpe-me Van Gogh,
No teu vaso, o vigor perdido ofendem os olhos.
No campo, eles desabrocham.
E lourejam as imagens da tela.
Campos que desejo correr.
Será que suportaria pisar neste solo?
Tocar corola e pétalas!?
Ah! Não sei...
Talvez extasiada minha retina gritaria,
De pura felicidade...
Meus olhos devorariam a intensidade da luz.
Ao menos em sonho eu vi.
Despertei aquecida e muda.
Num cenário autêntico e indelével.
Imagens reais de flores.
Cantando...
Sorrindo...
Eu, num campo de girassóis.

Por: Kilvânia Bezerra Gomes da Silva
Noviça I- Comunidade Recado

2 comentários:

  1. Valeu Kil!Muito lindo!
    Desejo a você que conheça um dia um campo de girassóis.É fascinate.
    Abraço,prazer em conhecê-la!

    "um belo poema sempre leva a Deus"
    (Quintana)

    ResponderExcluir
  2. Kil,

    Lindo!! Gostei muito dessa poesia. Todo dia entro no blog e leio..rsrsrs!

    Deus abençoe seu dom e continue contribuindo para este blog crescer e ser uma expressão autêntica do que somos e temos de melhor!

    Saudades...

    ResponderExcluir