Ceia de encontros

Dor, grito, suor, distorção.
Lágrimas contidas, dura sorte.
Querer inerte, estagnado.
Face sombria, mímica inexpressiva.
Olhar petrificado, obscuro.

Vida, sons, cores, vozes.
Sensibilidade, cortina que se abre.
Palco, olhares, esplendor.
Sangue redentor.

Personagens vivos, revelação.
Ensaio, cenário, figurino, bastidores.
Instrumentos, afinação, aberto coração.

Palavras, arte, inspiração.
Toque de ressurreição.
Expressão do ser, vocação.
Beleza, encontro, rumo, direção.


Kilvânia B. Gomes - Missão Fortaleza

2 comentários:

  1. Olha só Kill, senti na sua poesia que é uma arte que nasce do Carisma.

    Bjosss

    ResponderExcluir
  2. Daniela Apolinário21 de setembro de 2008 16:01

    Kill, que lindo ! Deus não se engana quando coloca pessoa como você nessa comunidade ! que arte.

    ResponderExcluir