Poeta, adormecido.



De poesias engavetadas;
De fantasias guardadas;
De dores superadas...
Abre a gaveta
dos teus sentimentos.
Desperta tuas letras,
que adormeceram no tempo.
Poeta,
meu amigo.
Solta tua poesia:
LIVRE!
Aos quatro ventos.
Fale de dor
ou de alegria.
Transforme em arte
a tua agonia.
Poesia livre.
Alma livre.
Ser livre.
Fantasia livre.
Como um grito da alma,
derramado no papel.
------------------------------
Poesia escrita por Suzan Keila, ela faz parte do grupo El Shaday na Missão Fortaleza

Borboleando..


O borboleio da vida me leva a alçar vôos, permitir atitudes, admitir altitudes, reconhecer virtudes..
A vida me leva a caminhos desconhecidos, desbravar horizontes antes nunca vistos. Borboleando sigo nas planícies do inacabado, do que está em construção dentro de mim. Presa em mim, vivo solta em meu infinito, meu objeto de particular apreço. Meu ser, minha vida, se entrelaçam numa dança de devaneios, de conhecimentos, daquilo que sou, daquilo que almejo ser e daquilo que não consigo desvendar.

Quando consigo alcançar objetivos inicialmente sonhados, a montanha se torna pequena e me mostra outro horizonte, um novo lugar, um novo mundo, um novo ser, um novo eu. Me torno pequena pra meu novo infinito, para minha nova razão de ser e de estar. Me sinto gota d'água do que antes era oceano, ai volto à minha condição de lagarta, que no casulo recolhe suas forças para então, somente depois de fortalecida, alçar novo vôo em alcance ao meu novo horizonte, minha nova descoberta.

Esses mistérios de idas e vindas, o ato de voltar e ir ao mesmo tempo, o chegar e o partir, me tornam outra, uma pessoa em eterno aprendizado, do que é, do que pode, do que consegue, mas com a certeza de que as borboletas ensinam todos os dias que o casulo é apenas um período que é necessário para que suas asas se fortaleçam e, só então, possa se sair e alçar o vôo dos apaixonados, pela vida e pela paisagem que os olhos vêem, com o olhar de quem era cego, no borboleio de quem nunca vôou... Quero ser como essa borboleta, que no encanto das dificuldades dos seus dias no casulo encontra a felicidade da liberdade de alçar vôo nos mistérios da natureza de Deus, sob os raios claros do sol da justiça da Virgem Maria....
----------------------------------
Artigo escrito por Carla Lacerda, ela faz parte do grupo Átrios na Missão Forlateza e mantém o blog http://carlinhalacerda.blogspot.com/.

Teorizando o debatido, debatendo o desconhecido..


Alguém, por favor, acenda a luz!

O show tem que continuar, mas prefiro que seja na clarividade da platéia que o assiste.
Há quem diga não saber quem é, e procura o tempo inteiro teorizar o que não se pode entender, buscando respostas para perguntas truncadas e perguntas para entender as respostas encontradas.
Eu sei quem sou.
Sou minoria, por simples saber que sou, como sou.
Não tenho dúvidas de meu território, tenho a posse do que é meu.
Sou dona de mim e de minhas consequências.
Inconsequências cabidas na minh'alma, de se saber loucura sã.
Sã teoria, sem teoria ser, de se saber ser o que se é.
Teoriza aquele que não vive, mas vive de dar explicações para se reconhecer quem se é.
Eu sou o que sou, sendo eu, não sendo outro, mas Cristo que vive em mim.
A liberdade consiste do se reconhecer ser em si o que é, o que se pensa, o que se vive, arborizando a liberdade do viver quem se é, sendo e permanecendo, permeando sombra no escaldante sol da injustiça, sem justificar fazer o que se faz, simplesmente ser, fazer e acontecer.
Delongas e delongas, para priorizar o prioritário. Teorizar o debatido, não reconhecido, desconhecendo o conhecido, desprezando o entendido, para encontrar o desconhecido.
Brincando de viver, como criança que se entrega às verdades de seus pais, que teorizam vidas vividas, por si e por outrém, para fazer feliz a vida de alguém.
Se acredita que na criança está o futuro. Meu futuro. Seu futuro. Mas creio que meu futuro pertença a mim, tão e somente.
Sou dono de mim, e, por assim ser, o mundo me pertence e eu não pertenço ao mundo...
----------------------------------
Artigo escrito por Carla Lacerda, ela faz parte do grupo Átrios na Missão Forlateza e mantém o blog http://carlinhalacerda.blogspot.com/.

Esperança

Espero por ti meu Senhor
Na minha Vida, que não é nada se não o tiver.
Espero por ti a cada segundo
E tu sempre esta aqui e nunca me desampara
Espero viver as tuas vontades,
e tu sempre me da momentos para vive-los,
e momentos para ensina-los
Espero na Alegria
E a tua alegria muitas vezes é manifestada pelos meus irmãos e me renova o coração.
Espero a cada instante lhe dar o devido louvor
Em agradecimento por tudo o que fazes
Em especial a minha vida, que a cada dia é uma chance,
de viver melhor a tua vontade.
Espero a cada momento dar o meu sim
Pois sei que o Céu se alegra quando uma pessoa aceita viver para ti.
Espero por tua mão que me modela, que me transforma
Espero a cada instante poder Esperar por ti.

Christiane - Missão Forlateza