Confluências


Palavras desnecessárias
Vida intensa sussurrando efemeridades
Me calo para ouvir, sentir, perceber
Encontro comigo, e em mim, meu Deus
Me lanço num laço, enlaçada peço silêncio
Me perco no encontro, me encontro na busca
Redescobertas solvidas na vida
Acordes dissonantes acordam a música
Perguntas sem respostas, respostas sem perguntas
Espera taciturna, sentimento fundo
Tarde alaranjada que se despede
À noite, minha companheira é a lua
Circulo branco a me envolver
Olhares sossegados cintilando o mar
Resquícios do porvir.
Poesia escrita por Kilvânia, ela é NoviçaI da Missão Fortaleza, e mantém o Blog: http://palavrasemsementes.blogspot.com/

2 comentários:

  1. Oi Kil!

    Deus seja louvado sempre! Dentre diversos dons que Ele te deu, admiro demais esse da poeisa.

    Bjão.

    ResponderExcluir
  2. Kilvânia !

    que lindo, amei muto esse poema . que dom lindo,

    Deus continue te abençoando.

    beeeiijo ~ .

    ResponderExcluir